VENDER EM MARKETPLACE: SAIBA COMO COMEÇAR NA INDÚSTRIA MOVELEIRA

VENDER EM MARKETPLACE: SAIBA COMO COMEÇAR NA INDÚSTRIA MOVELEIRA

Um marketplace é uma espécie de shopping center virtual, geralmente mantido por grandes redes. Atualmente, vender em marketplace é uma oportunidade valiosa para que indústrias e varejistas menores consigam comercializar suas mercadorias em gigantes como OLX, Mercado Livre, Walmart, Americanas, Submarino, Shoptime etc.

Considerando os altos custos do desenvolvimento de uma loja virtual, vender móveis em marketplaces traz custos mais baixos, ampliação exponencial de seu público-alvo e oferecimento de serviços de alta tecnologia sem onerar o seu negócio.

A exposição de fábricas de móveis em marketplaces é especialmente importante neste momento de pandemia, em que há uma maior procura por lojas online.

Assim, o contexto exige uma estratégia rápida de digitalização de processos na indústria moveleira. Hoje, você verá como o marketplace pode ser um caminho interessante para esse propósito! Confira!

Por que vender em marketplace?

Para o consumidor, o grande benefício desse modelo de negócios é encontrar tudo o que precisa em um só lugar, sem ter que visitar um site distinto para cada produto para o lar, por exemplo. Já para a indústria e o varejo, vender móveis em marketplace traz inúmeras vantagens:

        dispensa de comprometer-se com elevados investimentos em tecnologia (caso de quem tem seu próprio e-commerce);

        disponibilização de plataforma com tecnologia de ponta para efetuar vendas;

        ausência de burocracia (basta cadastrar-se no marketplace de interesse, assinar o contrato e começar a vender);

        acesso a todos os perfis de consumidores;

        possibilidade de alcançar públicos de áreas geográficas impossíveis de serem atingidas fora do ambiente digital;

        oferecimento ao cliente de múltiplas soluções de entrega e pagamento (sem que seja preciso investir no desenvolvimento dessas ferramentas);

        tecnologia antifraude, serviços de chargeback e ações de marketing encabeçadas pela rede.

Resumindo tudo isso, vender móveis em marketplace é uma forma barata de ampliar a visibilidade de sua fábrica, ganhar presença digital e, com isso, aumentar suas vendas. E em um momento de incomparáveis desafios da indústria moveleira (com alta do câmbio, isolamento social e crise econômica), trata-se de estratégia que não deve ser ignorada.

 

O que é necessário para vender móveis em marketplace?

As regras para vender em marketplace variam de acordo com a plataforma, mas, de forma geral, o processo de inserção de sua loja nessa rede de vendas ocorre do seguinte modo:

        cadastro: informação dos dados empresariais e produtos comercializados, além de assinatura dos termos e condições;

        análise: avaliação da veracidade dos dados informados para garantir credibilidade, seriedade e profissionalismo ao catálogo de lojistas da plataforma;

        configuração: com o acesso liberado, a próxima etapa é a de personalização da loja e cadastro de produtos;

        venda: fechamento de negócios e acompanhamento de todas as operações em tempo real.

Como o processo de vendas fica a cargo do organizador, você não precisa se preocupar com divulgação. Também será o proprietário do marketplace que disponibilizará a estrutura digital de pagamentos, a segurança do site e o sistema de cálculo de frete.

 

Quais cuidados levar em consideração ao vender em marketplace? 

O volume de lojas em marketplaces aumentou 90,7% apenas entre 2017 e 2018. Com a elevação da quantidade de lojistas (e de consumidores em busca desse formato), o número de portais também foi multiplicado, o que exige cuidado redobrado na hora de escolher seu parceiro de vendas.

Analise a reputação do portal

Anunciar em um agregador de ofertas sem credibilidade significa começar suas vendas online com o pé esquerdo.

Aliás, fica aqui o alerta de que são esses sítios os responsáveis pela infraestrutura de segurança e procedimentos de devolução de dinheiro em casos de fraude.

Ou seja, se seu cliente comprar em sua loja, mas tiver seu cartão clonado na área de checkout do marketplace, sua marca também será arranhada — e você poderá responder subsidiariamente em juízo. Por isso, apenas anuncie em portais de grande relevância.

Estude as comissões

Vender em marketplace costuma trazer como ônus apenas a retirada de um percentual sobre o valor do pedido. É preciso, entretanto, pesquisar bastante os custos de cada plataforma, dado que a amplitude das comissões é extensa: há “shoppings virtuais” que cobram 5% de comissão; em outros, no entanto, ela chega a ultrapassar os 30%.

Leia atentamente os termos e condições

Nada impede a empresa proprietária de uma plataforma de inserir cláusulas fora do comum, como cobrança de tarifa mensal, ausência de responsabilidade em caso de chargeback ou outras condições que podem não ser interessantes para você.

Assim, a leitura do contrato eletrônico não é mera formalidade, devendo ser feita com extrema atenção (mais de uma vez, com marcações sobre os pontos mais importantes), a fim de que você adquira conhecimento pleno de seus direitos e deveres antes de clicar no botão de aceite.

Tenha uma estratégia de marketing cross channel

Ter dois ou mais canais de comunicação e vendas é fundamental para aumentar o tráfego orgânico em seus sítios na web. Você pode ter, por exemplo:

        páginas em redes sociais e marketplace;

        marketplace e loja virtual.

Todavia, não adianta ser multicanal e não integrar todas as suas páginas. Se você quer vender em marketplace, é altamente recomendável abrir contas corporativas nas principais redes sociais, fazendo a divulgação de seus produtos e interligando o usuário diretamente ao seu catálogo virtual.

 

Por que a indústria moveleira precisa se digitalizar?

A título de curiosidade, a Americanas.com registra um total de 2,3 bilhões de visitas e 15 milhões de clientes ativos. O gosto do brasileiro por esses agregadores de ofertas é tão grande que um estudo feito pela PwC, em 2019, revelou que 90% dos consumidores que compram online utilizam marketplaces. Isso é um sinal de alerta à indústria moveleira.

O ponto é que, de forma mais ampla, não há como se manter analógico na era dos negócios digitais, concepção que se estende a todos os níveis da cadeia produtiva de móveis (do desenvolvimento de projetos à transação comercial).

Nesse contexto, a pandemia apenas lembrou que é preciso digitalizar-se o quanto antes. No caso específico das fábricas de móveis, esse processo deve começar já no desenvolvimento do mobiliário (com o uso de softwares de projetos 3D, dotados de plano de corte automatizado, orçamento eletrônico, renderização e gestão online) e ir até a divulgação e vendas nos canais digitais.

Na era digital, o marketplace se impõe como uma solução para diversos segmentos, dentre os quais a indústria moveleira. Assim, vender em marketplace certamente é um diferencial que crescimento no mercado, desde que você atente aos cuidados necessários para usar essa ferramenta corretamente.

Clique aqui e conheça o Promob Hub. Seus produtos disponíveis em diferentes marketplaces de forma fácil, prática e segura.

Compartilhe este artigo

Artigos relacionados

O mercado moveleiro está em constante expansão no Brasil e o Rio Grande do Sul lidera o cenário. Saiba mais sobre a importância da Promob para esse setor.
Fábricas, Marcenaria

Setor moveleiro: conheça os estados brasileiros que se destacam

Woman monitors dark office
Fábricas

CONHEÇA 3 FERRAMENTAS DE BUSINESS INTELLIGENCE E OS SEUS BENEFÍCIOS

promobsoftwaressa_promob_image_582
Fábricas

ENTENDA OS BENEFÍCIOS DA RELAÇÃO ERP E BI

plugins premium WordPress

Inscreva-se

Acompanhe artigos, dicas e tutoriais sobre o mercado moveleiro.