Preço dos móveis: descubra como calcular!

Preço dos móveis: descubra como calcular!

Preço dos móveis como calcular

Você sabe qual é o preço dos móveis da sua indústria? Ter essa informação é importante para calcular o preço correto, chegar a uma boa margem de lucro e ter uma definição mais clara do seu patrimônio.

No entanto, fazer esse cálculo nem sempre é tão fácil. O mais comum é que o empresário pense: ” paguei X por esse produto/insumo/matéria-prima, acrescento Y% de margem de lucro e tenho o valor final”. Será que, na prática, funciona assim? A resposta é não!

Então, se você quer entender mais sobre a melhor forma de calcular o preço dos seus móveis, leia o post até o final!

Analise as despesas gerais que incidem sobre o preço dos móveis

O primeiro passo para fazer essa contagem é garantir que os móveis são capazes de cobrir os gastos referentes à venda, entrega e montagem. Por isso, é necessário considerar todos os custos e as despesas existentes no projeto. Identifique, por exemplo, os valores relativos a:

  • comissão de vendedores;
  • salários dos colaboradores;
  • custos e despesas, por exemplo, aluguel, luz, telefone, internet, água e impostos.

Lembre-se de que, aqui, é preciso assinalar os custos diretos e indiretos. O primeiro tipo de custo é aquele que incide sobre o produto, como ferragens, painéis de MDF, acessórios, fitas de borda, embalagem e mais. O segundo tipo é de difícil controle, por exemplo, tinta, cola, lixas, energia elétrica, ferramentas de corte etc.

Apesar de os custos indiretos terem mensuração complexa, é importante ter parâmetros que conduzam o cálculo.

Considere os custos geralmente esquecidos

É bastante comum o empresário se esquecer de considerar gastos importantes e que impactam o financeiro da empresa no cálculo do preço dos móveis. Entre eles estão:

  • despesas com a indústria;
  • comissão de vendedores;
  • pagamento de terceiros (como montadores) e para o transporte de móveis;
  • investimentos em mostruário etc.

Mais que isso, considere também o valor de fretes, impostos, comissões, taxas de boletos ou cartões, honorários profissionais, seguros, despesas com IPVA, IPTU e manutenção etc. Verifique ainda os gastos com marketing, desde a captação do cliente até a entrega do móvel na sua casa.

Ao ter essa visão de todos os gastos (os que listamos na dica anterior e nessa), você pode acrescentar sua margem de lucro para chegar a um preço final. No entanto, ainda há mais o que fazer para chegar à quantia certa.

Conheça as etapas de produção dos móveis

Os diferentes estágios pelos quais a fabricação passa também interferem no preço. Por isso, considerar a realidade da sua indústria é fundamental. Geralmente, o processo contempla as seguintes etapas.

Projeto na marcenaria

Nesse momento, são definidas a função e a forma do móvel. As indicações são técnicas. Por exemplo: a porta deve ser construída com largura X para ser utilizada a dobradiça Y. Esses detalhes são importantes para a compra de materiais e a fim de evitar manutenções e acidentes futuros.

Planejamento de corte

O foco aqui é a qualidade do corte e a otimização da matéria-prima para evitar desperdícios. Se esse processo for mal-executado, será difícil a indústria alcançar lucro.

Produção do mobiliário

O ideal é identificar o tempo necessário para montagem e fabricação. Identifique o conhecimento técnico do profissional, porque isso é indispensável na hora de fazer procedimentos com furos e de colagem de fitas de borda, por exemplo.

Utilize fórmulas de precificação

Existem diferentes formas de considerar as variáveis e chegar a um cálculo final de preço. No caso da indústria de móveis, é importante se atentar para os materiais (chapas e ferragens), mão de obra e industrialização (isto é, maquinário). Como cada projeto é diferente, é necessário refazer o cálculo.

Para isso, uma das maneiras mais eficientes e recomendadas é o markup. Esse índice considera custos fixos e variáveis, além da margem de lucro pretendida. A fórmula é a seguinte:

markup = 100 ÷ 100 – (despesas fixas + despesas variáveis + margem de lucro)

Para ver como funciona em um exemplo, imagine que o móvel custe R$50. As despesas fixas representam 10% do total, as variáveis de 20% e a margem de lucro pretendida é de 10%. Aplicando os valores na fórmula, temos:

100 ÷ 100 – (10 + 20 + 10) = 100 ÷ 100 – 40 = 100 ÷ 60 = 1,66.

Com esse resultado, você pode calcular o preço de venda pela multiplicação do markup pelo custo do produto, no exemplo, R$100. Então, temos:

preço de venda = 100 x 1,66 = R$166

Tenha em mente que, para usar essa fórmula, a margem de lucro nunca deverá ultrapassar 100%.

Compare a precificação de outras empresas do setor

O preço dos concorrentes também deve balizar o seu cálculo. Portanto, avalie o valor cobrado por empresas que têm o mesmo público-alvo que o seu. A partir disso, você pode pensar em estratégias de diferenciação.

Por exemplo: se o seu preço é de R$166, mas tem concorrentes que fazem a R$130, verifique se é possível negociar com fornecedores, substituir por outro mais barato sem perder a qualidade ou até eliminar alguma etapa do processo. Outra possibilidade é agregar valor ao serviço prestado, para que o cliente identifique um bom custo-benefício.

Como fazer isso? Existem diferentes alternativas. Uma delas é buscar materiais exclusivos, garantir uma entrega mais rápida, oferecer algum brinde e por aí vai.

Defina o preço a partir das necessidades do consumidor

Apesar de existirem estratégias de precificação, também vale a pena considerar o consumidor na hora de bater o martelo sobre o valor a ser cobrado. Nesse sentido, existem três iniciativas que ajudam a direcionar suas atitudes:

  • penetração no mercado — é indicada para um negócio novo, um ponto de venda diferente ou para teste de promoções. A ideia é oferecer projetos com qualidade acima da média, mas um preço equivalente para atrair o cliente;
  • barganha — utiliza uma qualidade de acordo com a média do mercado, mas com preço inferior. Essa estratégia deve ser usada por pouco tempo para aumentar o capital de giro ou a visibilidade da sua indústria na região;
  • superbarganha — define-se um preço bem abaixo do praticado pelos concorrentes, mas a qualidade está na média do mercado. É uma promoção rápida e tem a missão de atrair mais clientes para a sua loja, ao mesmo tempo que diminui a quantidade deles nas outras empresas do segmento.

Como você pôde perceber, definir o preço dos móveis é uma atividade que contempla diferentes variáveis e que requer atenção a detalhes. Todas as dicas que passamos neste artigo contribuem para definir o valor mais justo, a fim de conquistar o máximo possível de clientes sem perder a margem de lucro pretendida. Então, que tal colocar as ideias em prática?

Se você ficou com alguma dúvida, deixe o seu comentário! E se quiser, conta pra gente como você define o preço dos seus móveis, se já testou nossas sugestões e qual foi o resultado.

Compartilhe este artigo

Artigos relacionados

Renderização: aprenda 3 técnicas para encantar clientes e aumentar as vendas
Marcenaria, Designers e Arquitetos

Renderização: aprenda 3 técnicas para encantar clientes e aumentar as vendas

O mercado moveleiro está em constante expansão no Brasil e o Rio Grande do Sul lidera o cenário. Saiba mais sobre a importância da Promob para esse setor.
Fábricas, Marcenaria

Setor moveleiro: conheça os estados brasileiros que se destacam

Maquina CNC
Marcenaria

CNC para marcenarias: como utilizar essa tecnologia no trabalho com madeira

plugins premium WordPress

Inscreva-se

Acompanhe artigos, dicas e tutoriais sobre o mercado moveleiro.